Colunistas

Publicado: Terça-feira, 13 de março de 2018

Vida Passageira

Quem acompanha esta coluna semanal, já terá adivinhado que a presente colunista sofre de uma queda em homenagear pessoas queridas.

Se há uma lição nesta vida que rende grandes satisfações, ela consiste em amar o próprio trabalho e jamais confrontá-lo. Para isso o desafio é constante.

Uma das razões da nossa serenidade diante dos desafios que o trabalho nos apresenta são as observações sinceras dos nossos leitores.

Quem não gosta de ouvir um comentário sobre algo feito? Ainda mais de um bem intencionado comentário. E acima de tudo uma observação de alguém que nos compreende e caminha conosco em todos os momentos.

Refletindo sobre esta troca de impressões e o que de mais forte ficou, foi a antiga e sempre presente vontade em homenagear as pessoas vivas do nosso convívio. São tantas as pessoas (que a memória já me trai), que merecem e são dignas de receber homenagens já e agora.

Parece-nos que é lei da humanidade em se fazer elogio ou reconhecimento somente àqueles que partem...

O tempo passa muito rápido e a nossa disponibilidade é no já... Nada justifica nossa espera.

É bom quando se pode elogiar alguém, bem verdade que não se trata, nem sempre de grandes personalidades, nem tampouco, o reconhecimento, se integra a um degrau nobre dos problemas nacionais, mas vale pelo sentido em estar reconhecendo o valor que todo ser humano tem.

Engraçado, quem se liga em homenagens sabe o quanto esse trabalho nos leva a diferentes cantinhos de grandes corações. Cada cantinho, à sua maneira, tem um perfil próprio e um modo de vida particular.

Se pudéssemos ter consciência do quanto nossa vida é passageira, talvez aproveitássemos mais as oportunidades que temos de ser e de fazer os outros felizes.

Há algumas pessoas que são lindas demais para serem descritas por palavras. É necessário admirar suas obras para apreciá-las em toda sua plenitude.

De fato, palavras deve ser embalagem dos pensamentos. Não adianta fazer discursos longos para convencer que o homenageado merece o reconhecimento de todos.

Acredito que ninguém precisa ser superpoderoso para receber um elogio ou homenagem. Basta sermos nós mesmos. Anônimos, é verdade, sem as badalações dos famosos. Mas, tão entusiasmados fortes e merecedores quanto eles.

Evidentemente, há os que não gostam de receber honrarias e isso também se deve respeitar. Aristóteles dizia: “A grandeza não está em receber honras, mas em merecê-las”.

Olhemos à nossa volta e veremos quantas pessoas merecedoras do nosso reconhecimento. Cada pessoa é um testemunho do tempo.

Estamos perdendo tempo, deixando o presente esvair-se por entre os dedos. Um presente que passa e... Já é passado. Inexoravelmente.


Ditinha Schanoski                                                                                                                                                                                        

         

Comentários

Varanda da Saudade

Ditinha Schanoski

Ditinha Schanoski

Jornalista ituana, trabalhou no jornal A Federação e é articulista de vários jornais e revistas. Membro da ACADIL, SACI, UARD, Gvcmi e outros grupos. Agraciada com diversos prêmios, como a Medalha Dom Gabriel. Nomeada Profissional Ético de 2014.

Arquivo

13 dias atrás

Bodas de Ouro

27 dias atrás

Sequência de Tragédias

13 de fevereiro de 2019

As Mãos de minha Mãe

23 de janeiro de 2019

Aniversário de Itu

23 de janeiro de 2019

Aniversário de Itu